Neve em Julho: Destinos para esquiar na América do Sul

Postado por:
em: 24/07/2012
Categoria(s): ski

Aproveite a estação mais fria do ano e embarque em uma viagem inesquecível pelo cenário branco do Chile e da Argentina.

Chile-Valle-Nevado(2)

As férias de julho oferecem uma boa oportunidade para esquiar. E quem deseja se aventurar no esporte, não precisa nem ir muito longe para se divertir: Argentina e Chile oferecem estações em que é possível alugar equipamentos, fazer aulas e ainda curtir muita neve.

Confira as opções na América do Sul para se divertir nessa temporada de neve:

Cerro Catedral – Argentina

Visita ideal para quem passeia por Bariloche, a estação fica a 19 km da cidade argentina. Reúne 53 pistas sinalizadas de dificuldades variadas, que atingem até 2.000 m de altura sobre  nível do mar. Seus 600 hectares de superfície oferecem possibilidade de praticar também snowboard e freestyle, com direito a obstáculos. Com esta infraestrutura, Cerro Catedral é palco de competições internacionais.

Las Leñas – Argentina

Em Malargüe, a 450 km de Mendoza e 1.200 km de Buenos Aires, a estação oferece 230 hectares de superfície para o esqui, ideais especialmente para principiantes e praticantes de nível intermediário. Os esportistas mais avançados podem aproveitar o esqui fora de pista. Com 28 pistas que chegam à altura de 7.050 m, os visitantes podem aproveitar também snowboard e motoneve. Uma máquina de fabricação de neve artificial garante a quantidade de gelo necessária para esquiar.

Valle Nevado – Chile

Localizado nos Andes Chilenos está a 3.485 m acima do nível do mar e a 57 km de Santiago. Seus 9.300 hectares comportam mais de 37km de pistas divididas em níveis de dificuldade –muitas delas consideradas “negras”, mais difíceis. Também permite praticar snowboard –sediou a Copa do Mundo do esporte em 2003–, esquiar em neve virgem e se aventurar pela neve em pó dos Andes.

Portillo – Chile

Portillo é o mais famoso e provavelmente também o mais antigo centro de esqui da América do Sul. Somente 40km separam a base deste centro do pico Aconcágua, o mais alto do hemisfério sul. No coração mesmo da Cordilheira dos Andes, com 2.850 metros sobre o nível do mar, Portillo ou “paso angosto” era o principal passo entre a Argentina e o Chile, transitado primeiro pelas mulas e cavalos e depois pelo trem transandino,

que atravessava um dos percursos mais espetaculares sobre os trilhos. Depois que se inaugurou a rodovia internacional, o trem se desativou durante os anos 70, perdendo assim este caminho esta maravilhosa experiência.

Fonte:hagah.com.br

Leia também:

Bariloche na Argentina oferece esqui para todas as idades

Chile anuncia novidades da temporada de esqui

Para mais informações sobre destinos de neve,consulte agência e operadora de viagens http://interpoint.com.br/