Machu Picchu – Peru com Pedro Nascimento. 

Postado por:
em: 01/12/2019
Categoria(s): grandes destinos
Peru - Machu Picchu

Peru – Machu Picchu

 

Hoje você vai conhecer o relato da viagem que nosso diretor de conteúdo Pedro Nascimento, fez para Machu Picchu com a Interpoint.

 

“Fizemos a viagem com a Interpoint, depois de falarmos todos os lugares que gostaríamos de conhecer no Peru. Foi então que eles começaram a fazer todas as reservas de acordo com as nossas preferências misturados às recomendações deles. É legal estar sentado na mesa da Interpoint com a Lou falando das viagens, dos roteiros, dos locais que ela e os agentes já conheceram, principalmente envolvendo o seu destino.

 

Depois de todo esse tratamento, embarcamos sem problemas e chegamos ao Peru. Lá, fomos recepcionados pela Lima Tours, empresa operadora no país, parceira e contratada pela Interpoint. Com toda a programação já traçada e comprada, além de sempre um guia e um motorista à nossa disposição, tudo fica mais gostoso, porque você não precisa se preocupar com nada é só seguir o roteiro e ir.

 

O Peru é um país fascinante, a cultura, a arquitetura e os restaurantes são realmente especiais, se você tiver a dica certa, cai nos melhores restaurantes do país com um estalar de dedos.

 

Quanto aos passeios, sempre tudo muito interessante, diferente, cheio de coisas especiais, mas também muito cheio. Como o turismo é a principal fonte de renda do país os pontos turísticos são bem lotados, mas o nosso guia sempre indicava o melhor horário para chegar e sair dos locais, assim conseguimos aproveitar mais os pontos que gostaríamos de conhecer com menos pessoas em volta.

 

O ponto máximo da viagem foi Machu Picchu. A viagem começou quando pegamos um trem de aproximadamente 3 horas de Valle Sagrado para Águas Calientes, uma cidade minúscula que está bem próxima a Machu Picchu. A recomendação era de passar essa noite lá, para acordar às 5h da manhã e pegarmos o primeiro ônibus que sobe até a entrada da reserva onde está Machu Picchu. Sendo assim tomamos um delicioso café da manhã no hotel Sumaq e fomos com o guia que estava esperando a gente na porta do hotel para irmos ao ponto do ônibus. Pegamos uns dos primeiros como recomendado e começamos a subida. Ali a energia e aventura já tomavam conta da situação, afinal estávamos indo conhecer uma das 7 maravilhas do mundo moderno.

 

Quando chegamos na porta do parque o tempo estava bem nublado e já tinham filas, porém nada muito longo, o horário realmente ajudou.  E como hoje em dia eles limitam a entrada e todos têm horários de entrar e sair em Machu Picchu fez com que conseguimos entrar rápido.

 

Quando chegamos dentro do parque estava totalmente nublado e não conseguimos enxergar nada. Porém, alguns dias antes, estávamos conversando com um guia sobre a possibilidade de chegar lá e não ver nada, uma coisa que acontece bastante com algumas pessoas. Ele disse que as pessoas que nasceram nos meses de junho, julho e agosto têm uma energia muito forte e se lá em cima estivesse nublado era só soprar 3 vezes para as nuvens, mentalizando o sol, que ele iria aparecer. Sendo assim eu, nascido em julho e a minha esposa Flávia, que é de agosto, começamos a soprar e mentalizar. Foi exatamente nesse o momento que tiramos essa foto do post.

 

Logo depois o tempo começou a melhorar e a vista ficou linda. Certamente Machu Picchu é incrível. Inacreditável como conseguiram construir esse local. Realmente é uma viagem que, todos que puderem, devem fazer para conhecer toda energia especial que está presente no ar de lá.”

Assista o vídeo da viagem completa: